Fibromialgia

SOBRE A DOR

Fibromialgia corpo mulher
A fibromialgia (FM) é uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo todo, principalmente na musculatura. É um problema de saúde bastante comum, podendo alcançar 15% de todos os pacientes que vão a um consultório médico com queixas de dor.

De cada 10 pessoas com fibromialgia, entre sete e nove são mulheres. Não se sabe a razão porque isto acontece. Não parece haver uma relação com hormônios, pois a fibromialgia afeta as mulheres tanto antes quanto depois da menopausa. Talvez os critérios utilizados hoje no diagnóstico da FM tendam a incluir mais mulheres. A idade de aparecimento da fibromialgia é geralmente entre os 30 e 60 anos.

O diagnóstico da fibromialgia é clínico, isto é, não se necessitam de exames para comprovar que ela está presente. Se o médico fizer uma boa avaliação clínica, pode fazer o diagnóstico de fibromialgia na primeira consulta e descartar outros problemas.

Podem ser necessários alguns exames, não para comprovar a fibromialgia, mas para afastar outros problemas que possuem sintomas semelhantes, o que é chamado de "diagnóstico diferencial". 

CAUSAS E SINTOMAS

Junto com a dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga (cansaço), sono não reparador (a pessoa já acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais. Uma característica  é a grande sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura pelo examinador ou por outras pessoas.

O sintoma mais importante da fibromialgia é a dor difusa pelo corpo. Habitualmente, o paciente tem dificuldade de definir quando começou a dor, se ela começou de maneira localizada que depois se generalizou ou que já começou no corpo todo. A dor costuma ser mais intensa no final do dia, mas pode estar presenta também logo de manhã. Existem uma sensação de dor “nos ossos” ou “na carne” ou ao redor das articulações.

Há uma grande sensibilidade ao toque, e muitos pacientes não toleram ser nem mesmo abraçados. Não há inchaço (edema), pois não há uma inflamação aguda localizada. Pode existir uma sensação de aumento de volume pela contração da musculatura em resposta à dor.

A alteração do sono na fibromialgia é frequente, afetando quase 95% dos pacientes. No início da década de 80, descobriu-se que pacientes com fibromialgia apresentam um defeito típico no sono – uma dificuldade de manter um sono profundo. O sono tende a ser superficial e/ou interrompido. A depressão está presente em 50% dos pacientes com fibromialgia

TRATAMENTOS

É importante antes de mais nada definir a causa do problema para que se possa atuar sobre o mecanismo que gera os sintomas. Diversos trabalhos científicos tem demonstrado que a fibromialgia é uma condição multifatorial, na qual existem manifestações não apenas físicas como também sinais de fadiga mental, insônia, ansiedade, mal funcionamento intestinal e tc. O uso indiscriminado de anti-depressivos e sedativos deve ser evitado, pois não agem na origem, mas apenas mascaram os sintomas.

A literatura é ampla em publicações que relacionam os mesmos sinais de fibromialgia, a outras condições, como a Síndrome da Fadiga Crônica (SFC), por exemplo. Nela existe um mau funcionamento das mitocôndrias, que são a "bateria" das células (local onde se produz energia). Dessa maneira, acredita-se que a falta de disposição, dores, fadiga, desânimo, depressão, angústia, falta de ar e outras manifestações podem estar relacionadas à falha no funcionamento desse mecanismo em células dos músculos, neurônio e outras partes do corpo.

Por esse motivo, o tratamento deve englobar uma avaliação completa oferecer um tratamento sistêmico para todo o indivíduo, que inclui não apenas remédios controlados; mas sim uma nutrição adequada, prática de exercícios orientados, uso de suplementos corretos, reforço da muscuatura, alívio das contraturas musculares, meditação, controle emocional, atitudes mentais postivas, e em alguns casos muito específicos podem ser usados por tempo definido tratamentos injetáveis. Há também artigos que mostram benefícios no alívio das dores com a aplicação de acupuntura, massagens, Reiki, e ondas de energia geradas por aparelhos, como é o caso das utilizadas no Instituto Regenius nos protocolos Orto-Laser, Wave-Regen e Magneto-Regen, por exemplo.


Dr. Otávio Melo
Siga o Instituto Regenius nas redes sociais:

SÃO PAULO

BELO HORIZONTE